off

Jovens portugueses processam 33 países por causa das alterações climáticas

by

Conforme reportado esta manhã pela Global Legal Action Network (GLAN),  os jovens têm entre 8 e 21 anos e são das regiões de Leiria e Lisboa. Os incêndios de 2017 foram a pedra de toque e a associação internacional não-lucrativa Global Legal Action Network assumiu a preparação do processo que deverá dar entrada esta quinta-feira, 3 de Setembro, no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Seis crianças e jovens portugueses, com idades entre os 8 e os 21 anos, são os autores de uma acção que dará entrada esta quinta-feira, 3 de Setembro, no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, em Estrasburgo (França), contra 33 estados, por causa das alterações climáticas e exigindo cortes profundos e urgentes em suas emissões de carbono. O processo, conduzido pela Global Legal Action Network, parte do princípio que a Convenção Europeia dos Direitos Humanos obriga os estados a tomarem acções concretas para reduzir as emissões de gases com efeitos de estufa.

A crise da Covid-19 não fez com que a emergência climática fosse embora. A mudança climática continua sendo a maior ameaça para a humanidade e a necessidade duma transição radical longe dos combustíveis fósseis é mais urgente do que nunca. Ainda é possível para os governos prevenir essa ameaça se eles se comprometerem com uma #GreenRecovery  Mas o tempo está se esgotando rapidamente. E a ciência é clara: os governos europeus ainda não estão fazendo o suficiente. É por isso que seis crianças e jovens  de Portugal estão a processar 33 destes governos. Eles já estão enfrentando ondas de calor record e incêndios florestais devastadores numa escala nunca vista antes. Sofia e André são lisboetas e também estão a sentir os efeitos do aumento dos extremos de calor. Catarina, Cláudia, Martin e Mariana são naturais de Leiria, uma das regiões mais atingidas pelos devastadores incêndios florestais que mataram mais de 120 pessoas em Portugal em 2017. Durante uma onda de calor em agosto de 2018, Lisboa registrou um novo recorde de temperatura de 44⁰C. Sem medidas urgentes para manter os combustíveis fósseis no solo, sua geração enfrenta um futuro dominado por extremos climáticos mortais. Ao aceitar este caso, eles estão adicionando suas vozes à luta global pela justiça climática.

 

 

Grazas por leres e colaborares co Ollaparo !

Este sitio emprega Akismet para reducir o spam. Aprende como se procesan os datos dos teus comentarios.

off
A %d blogueros les gusta esto: